COISAS DE PAIS

COISAS DE PAIS
AFONSO (13), TITÃO (11), DUDU (7), NONÔ (7)

quarta-feira, dezembro 07, 2016

Coisas de Nomes Coletivos

Mamã a treinar os nomes coletivos com os gémeos:

(Mãe) Conjunto de lobos?

(Dudu) Alcateia.

(Mãe) Conjunto de cães?

(Nonô) Matilha.

(Mãe) Conjunto de porcos?

(Dudu) Talho...

Coisas de Oral Constrangedora

(Afonso) Mãe, hoje apresentei um trabalho oral a Espanhol. Havia vários temas e eu escolhi o do vício do telemóvel.

(Mãe) Ah, boa! E o que é que disseste?

(Afonso) Resolvi falar sobre o vício da minha mãe pelo telemóvel. Disse que tu estás sempre a responder a emails ou a mandar mensagens, mas quando me vês no Instagram ou a ver um vídeo de um Youtuber ficas passada e dizes que eu estou viciado.

(Mãe) ....

(Afonso) Correu bem. A professora fartou-se de rir e deu-me 80%.


Shame on you, mamã...

segunda-feira, dezembro 05, 2016

Coisas de Acende Uma Vela no dia 11/12

Em dia de despedida de uma tia que partiu cedo demais (mas haverá o tempo certo, quando se ama?), partilho convosco a iniciativa Acende Uma Vela, que no dia 11, ao final da tarde, vai reunir na Mãe d'Água todos aqueles que perderam filhos, irmãos, sobrinhos, amigos - crianças e jovens que partiram demasiado cedo - bem como todos aqueles que quiserem juntar-se a esta celebração de homenagem e partilha.
O evento contará com a música do coro Vox Laci, e a mim coube-me "amadrinhá-lo" com o meu testemunho pessoal, para o qual o tempo me ajudou a ter palavras. Não sei se terei as certas (como saber? Existirão?) mas levarei as possíveis, de coração aberto, para juntos acendermos uma vela em memória daqueles que hão-de habitar para sempre os nossos corações. E também por aqueles que, ficando, precisam de luz (da luz de todos nós) para o seu caminho.
Até domingo!

Sobre o evento

domingo, dezembro 04, 2016

Coisas de Chiquita para Sempre

Não me lembro da minha existência sem ela. Sem filhos, era a tia que adoptava as sobrinhas como filhas, e se as sobrinhas "oficiais" eram só três, lá ia amadrinhando pelo caminho tantas crianças e jovens...

Como nunca frequentei infantários nem creches (era tímida e assustadiça, quem diria... A minha mãe nunca conseguiu deixar-me em nenhum), ficava muitas vezes em casa dela, quando a minha mãe ia trabalhar. Foi lá que fiz uma casinha para bichinhos da conta, numa iogurteira... Que apanhei piolhos pela primeira vez... Que procurei brinquedos num camião de lixo, com um grupo de ciganas da minha idade, às escondidas dela... Que fiz teatradas com as suas roupas e jóias... Que aprendi a pôr rolos... A colher rosas... Aturou tantas birras minhas, à sua porta ("Mas esta menina tem força de sete cavalos")... Fez-me tantos lanchinhos, com pão e iogurte... Comprou-me a minha primeira Barbie, em Badajoz... E levava-me ao terço da paróquia (onde eu às vezes adormecia, de teço na mão).
Foi tanta, mas tanta coisa, durante tantos anos. E agora era a tia-avó dos meus pequenotes. Já não sabia escolher brinquedos para eles, como sabia escolher para as sobrinhas, mas tinha sempre na manga um chocolatinho, um miminho, um abracinho (e uma notita, para eu escolher o melhor para eles. "É que eu já não percebo nada dessas novidades). Era para eles, como para toda a gente, a Madrinha Amélia. Para mim, por causa do seu Chico (outro tio inesquecível), era a minha Chiquita há muitos anos.
Vais deixar muitas saudades, Chiquita. Mas vamos fazer por recordar-te sempre, em todas as alegrias da nossa vida, porque tu conseguiste encher a nossa vida delas.

OBRIGADA!

Coisas de que só o Dudu se lembra

(Dudu) Ó mãe... tu achas que eu posso vir a ser o primeiro homem grávido?

Who knows?

sexta-feira, dezembro 02, 2016

Coisas de Motivação na Grande Tarde da SIC

A SIC convidou-me a ir partilhar na Grande Tarde da SIC o que faço com os meus filhos para os motivar para os estudos, na companhia da psicóloga Bárbara Ramos Dias, que trabalha com crianças e jovens, nestas mesmas temáticas.
Claro que os pais em casa fazem o possível (os que podem e quando podem), os psicólogos dão uma ajuda, os professores procuram também fazê-lo no seu local de trabalho (assim estejam também ele motivados), mas é preciso também que o Ensino mude, e se torne num Ensino Motivador, que não estrague, nas nossas crianças, aquilo que elas têm de mais precioso: a sua curiosidade, a vontade inata de aprender, a criatividade.

Aqui fica, para quem quiser ver e ouvir: http://sic.sapo.pt/Programas/grande_tarde/criancas-em-grande/2016-11-28-Criancas-em-Grande---28-de-Novembro



Coisas de Inspira, Respira. Toca a Gerir a Ansiedade!

O tempo para seguir outros blogues não é muito, mas há um que eu não dispenso. Chama-se "Cerejas", é da ilustradora Raquel Pinheiro (com quem já me confundiram tantas vezes! Minha querida sósia...) e conta com a colaboração da psicóloga Susana Amorim, que é outra daquelas pessoas a quem só apetece dar abraços!

O post de ontem era sobre um tema fundamental: ajudar as crianças a controlar a ansiedade. Sabemos hoje como o stress e a ansiedade são poderosos cocktails de químicos nefastos para o nosso corpo. E como todos estamos sujeitos a isso, desde tenra idade, numa sociedade onde impera a pressa e a competitividade. Como sossegar essa ansiedade? Como gerir o stress? Crianças que o aprendam, desde cedo, serão com certeza adultos mais tranquilos. Mais disponíveis para aprender e trabalhar. Mais capazes de amar. É esse o desafio da Susana Amorim, que colocou numa caixa de dicas algumas preciosas sugestões que a Raquel ilustrou. Daquelas que podem perfeitamente ir para as paredes dos quartos, ao lado das secretárias, ou serem afixadas nas paredes das salas de aula. Fica a sugestão :)


Coisas de Fadinha dos Dentes Impostora

Nonô aproxima-se com uma carta da Fada dos Dentes na mão e um ar muito zangado.


(Nonô) Mãe, desculpa mas esta letra é tua. Aqui está a prova: não há fadinha dos dentes nenhuma! Foste tu que puseste as moedas debaixo da almofada. E deitaste os nossos dentes para o lixo!

(Mãe) Não é verdade, Nonô...

(Nonô) Esta letra é tua. Tenho a certeza...

(Mãe) Mas não é verdade que os dentes tenham ido para o lixo. Estão todos guardados na gaveta do meu quarto.

(Nonô) Mas mentiste!

(Mãe) Ó filha... a mãe pode ser mãe de dia e fadinha dos dentes à noite. Pelo menos quando caem os dentes dos seus filhotes...



Nonô procura acalmar-se.



(Mãe) Não gostaste de receber uma cartinha e uma moeda sempre que caiu um dos teus dentes? Não foi divertido?

(Nonô) Foi. Mas eu não gosto que me mintas. Não me mintas mais, mãe, por favor.


Nonô afasta-se, ainda a refazer-se do choque.


(Mãe) Nonô, sobre o Pai Natal...

(Nonô) Eu sei, eu sei... Também não existe.


E é isto. Anda a uma mãe a pensar que faz bem ao despertar magia nos seus filhos, a escrever dezenas de cartas diferentes em nome de uma fadinha que nunca deu à costa, a imaginar histórias sem fim do Pai Natal... e os meus filhos, afinal, só querem que eu não lhes minta. Que seja verdadeira dos pés à cabeça. Sempre e em qualquer circunstância.
Sempre a aprender...

quinta-feira, dezembro 01, 2016

Coisas de Nonô, a Inventora

Nonô entra na banheira a correr, cheia de frio.

(Nonô) Ó mãe, devíamos inventar uma espécie de pele que púnhamos por cima da nossa. Era uma pele que nos aquecia e que ao mesmo tempo nos protegia das coisas más.
(Mãe) Isso é uma ideia muito boa!
(Nonô) Vou chamar-lhe Pelca...

quarta-feira, novembro 30, 2016

Coisas de Tarde bem passada com a Associação Acácia

A Associação Acácia (http://acacia-associacao.blogspot.pt), cuja visão e acção no terreno tenho tido o privilégio de acompanhar quase desde o início, lançou-me este desafio irrecusável.
Desafio-vos também a aparecer e a partilharem connosco as vossas aventuras em família, em comunidade, a relação com a Escola, e os desafios que o diálogo intergeracional vos coloca. Como mote, teremos a "Massa Fresca", série que já não está no ar mas continua a proporcionar-me estas saborosas tertúlias...
Vamos a isto?

terça-feira, novembro 29, 2016

Coisas de lista de compras

As listas de compras da Leonor são sempre especiais...


Vou tentar não me esquecer do teu carinho, querida filhota <3

Coisas de Saga à la Titão

Todos os meses o Sebastião tem de fazer um composição de tema livre para entregar à professora de Português. E todos os meses o Sebastião tem uma qualquer ideia louca, que não sei de onde lhe surgiu.
Desta vez, resolveu escrever a saga dos irmãos Marcolino Anastácio Pimpinela Calhau e Timóteo Teodorico Bigodinho Calhau. Um tinha pelos a mais e o outro não tinha pelos. O segundo desejou ser como o primeiro e correu-lhe mal...


Não sei o que é que a professora dele acha destas composições. É provável que ache que ele tem um pirolito a menos. Ou, pior ainda, que não leva a sério os seus trabalhos. Mas há esperança.

(Mamã) O Gabriel Garcia Marquez também arranjou uma saga familiar cheia de nomes estranhos em "Cem anos de Solidão". Já vendeu mais de 50 milhões de exemplares. E ganhou um Nobel.

Arregalou os olhos. Não gosta particularmente de escrever, mas foi-se deitar inchado. Vamos ver que composição vai engendrar para Dezembro...